- Ache os Cursos e as Faculdades certas para você! Clique aqui!

- Bolsas de Estudo - são mais de 1.200 faculdades oferecendo descontos de até 75%! Saiba mais!

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : notícias

UPF e Agral fazem pesquisa colaborativa. Empresas atuando junto à Universidade

20/03/2015



Cumprindo sua missão de promover a transferência para as empresas de tecnologia produzida na Universidade, a Agência de Inovação Tecnológica da Universidade de Passo Fundo (UPFTEC/UPF) assinou o primeiro projeto de pesquisa colaborativa, numa parceria da UPF, por meio do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada (PPGCA), com a empresa passo-fundense Agral Indústria de Equipamentos Eletrônicos, que desenvolve equipamentos de agricultura de precisão.

A parceria iniciou ainda em 2013, quando a Agral participou do Projeto Extensão Produtiva e Inovação, coordenado pela UPFTEC e que consiste em um processo de consultoria e assessoria para as indústrias da região. No início de 2014, a UPFTEC buscou a aproximação da empresa com o curso de Ciência da Computação, para pesquisas e trabalhos voltados à área de agricultura de precisão. No mesmo ano, foi formalizado um convênio de cooperação, que definiu o objeto de pesquisa para um primeiro projeto conjunto: o estudo para o desenvolvimento de uma plataforma para integração e disponibilização, por meio de serviços WEB, de dados provenientes de sensores de maquinários agrícolas e coletores agrometeorológicos.

A pesquisa colaborativa

Conforme o coordenador da UPFTEC, Giezi Schneider, alavancar esse tipo de parceria entre empresas e a Universidade é um dos objetivos da UPFTEC. Segundo ele, desenvolver projetos em parceria aumenta as chances de que a transferência de tecnologia ocorra. “Muitas vezes, a Universidade gera tecnologias de ponta e muito eficazes, mas que não estão alinhadas com as necessidades de momento das empesas, e isso dificulta a transferência de tecnologia”, destaca. Ocorre o contrário quando o projeto de pesquisa é realizado conjuntamente, ou seja, universidade e empresa se comprometem e participam da execução. Essa configuração é denominada pesquisa colaborativa.

Para Schneider, muitas empresas buscam a universidade com a expectativa de encontrar um serviço que, ao final de um determinado tempo, venha entregar um produto. No caso da Agral é diferente, pois a empresa entende no que consiste um processo de pesquisa. “A equipe está satisfeita com a parceria, que terá a participação de alunos bolsistas. Essa empresa vem colocar recursos intelectuais, para que ao final da pesquisa se tenha resultado. Temos um contexto positivo, com recursos para desenvolver o trabalho, sejam eles humanos ou tecnológicos, com agregação de valor na formação de alunos de graduação e pós-graduação”, salienta, pontuando que propostas como essa exigem o alinhamento de expectativas e o desafio é proporcionar que outros casos similares se repitam na Instituição.

A equipe técnica responsável pelo desenvolvimento do projeto será coordenada pelo professor Willingthon Pavan, do PPGCA, e terá colaboração dos professores Carlos Amaral Holbig e Jaqson Dalbosco, do bolsista do PPGCA Maurício Karrei e de acadêmicos de graduação, que atuarão como estagiários.

De acordo com Pavan, dentro do acordo de cooperação será desenvolvida a pesquisa de soluções computacionais que permitam a centralização de informações. “São dados recebidos dos equipamentos desenvolvidos pela Agral, que vão transmitir informações para um local específico. Temos trabalhado com tecnologia em computação em nuvens e sistemas distribuídos para que essas informações possam ser recuperadas em outros tipos de equipamentos e fontes”, comenta.




(Fonte: Imprensa UPF)





Versão para impressão     Enviar para um amigo